• Publicidade
  • Publicidade
  • Publicidade
  • Publicidade
  • Publicidade
Adrenanews

Medite: Feliz a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para sua herança !!! - Salmos Cap: 33 Vers: 12

Surfnews


Reef Paris Womens Pro 2017

Publicado em: 29/10/2017

A peruana Anali Gomez conseguiu um inédito tricampeonato sul-americano na história da WSL South America neste domingo em San Bartolo, no Peru. Ela confirmou o título na semifinal do QS 1000 Reef Paris Womens Pro com sua última concorrente, a também peruana Melanie Giunta. Depois, perdeu a grande final para a havaiana Bailey Nagy e as duas receberam troféus de campeã no pódio da quinta e última etapa do WSL Qualifying Series feminino promovida pela WSL South America esse ano. O prêmio para Anali Gomez oferecido pela World Surf League, é a garantia de participação nas etapas mais importantes do próximo ano, com status QS 6000 e QS 10000, que definem as seis vagas para a elite das top-17 do CT.

Anali Gomez em ação. Ft: Divulgação WSL - Mauricio Espinoza

O domingo final do Reef Paris Womens Pro começou com a havaiana Bailey Nagy já mostrando suas armas contra a campeã mundial de 2004 e bicampeã sul-americana, Sofia Mulanovich, na abertura das quartas de final. As concorrentes ao título da WSL South America competiram nas duas últimas baterias dessa fase. Melanie Giunta passou pela campeã sul-americana do ano passado, Nathalie Martins, por uma pequena diferença de 12,35 a 11,25 pontos da última brasileira no evento.

Bailey Nagi em ação. Ft: Divulgação WSL - Mauricio Espinoza

Anali Gomez entrou na bateria seguinte e derrotou a porto-riquenha Havanna Cabrero por 13,75 a 10,85, para decidir o título sul-americano nas semifinais. Melanie Giunta já precisava vencer o Reef Paris Womens Pro para ser a campeã, mas Anali liquidou sua última concorrente nas duas últimas ondas que surfou na bateria e valeram notas 6,00 e 7,00. Por 13,00 a 9,55 pontos, “La Negra”, como é conhecida, confirmou o inédito tricampeonato antes mesmo da decisão com Bailey Nagy.

Melanie Guinta em ação. Ft: Divulgação WSL - Mauricio Espinoza

A havaiana entrou na bateria final mais concentrada e começou bem, aproveitando uma boa onda para largar na frente com nota 7,00. A primeira de Anali Gomez foi 6,25 e o máximo que conseguiu depois disso foi 6,05 na última onda. Bailey Nagy já estava somando uma nota 6,35 da sua segunda melhor apresentação e ficou com o título do QS 1000 Reef Paris Womens Pro, derrotando a nova tricampeã sul-americana por 13,35 a 12,30 pontos.

Nas semifinais, a havaiana também começou bem e liquidou outra peruana com as notas 6,00 e 7,50 que computou em duas ondas seguidas. Mas, Daniela Rosas foi se aproximando a cada onda e quase consegue virar o placar. Ela recebeu 6,90 na melhor, porém somou uma nota 6,20 e acabou eliminada por 13,50 a 13,10 pontos, repetindo o terceiro lugar conquistado na etapa do Chile, em Pichilemu.

Daniela Rosas em ação. Ft: Divulgação WSL - Mauricio Espinoza

Com mais um bom resultado, Daniela Rosas subiu da sexta para a quarta colocação no ranking final da WSL South America, abaixo apenas da tricampeã Anali Gomez, da vice-campeã Dominic Barona, do Equador, e da também peruana Melanie Giunta, que permaneceu em terceiro lugar. A brasileira mais bem colocada esse ano é a paulista Camila Cássia em quinto lugar, seguida pela melhor argentina, Lucia Cosoleto, em sexto.

Lucia Cosoleto em ação. Ft: Divulgação WSL - Mauricio Espinoza

Neste ano, foram realizadas cinco etapas femininas do WSL Qualifying Series na América do Sul. A disputa pelo título sul-americano começou com a equatoriana Dominic Barona vencendo o Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata. 

Sofia Mulanovich em ação. Ft: Divulgação WSL - Mauricio Espinoza

 A segunda foi na mesma San Bartolo que recebeu a etapa final agora no Peru e a vencedora do Jeep Pro foi Anali Gomez, que assumiu ali a liderança do ranking e não largou mais até conquistar o tricampeonato em casa. Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados do QS 1000 Reef Paris Womens Pro podem ser acessadas na página do evento no www.worldsurfleague.com

Nathalie Martins em ação. Ft: Divulgação WSL - Mauricio Espinoza

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 1000 REEF PARIS WOMENS PRO:

Campeã: Bailey Nagy (HAV) por 13,35 pontos (notas 7,00+6,35) – US$ 1.500 e 1.000 pontos

Vice-campeã: Anali Gomez (PER) com 12,30 pontos (6,25+6,05) – US$ 750 e 750 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 560 pontos e US$ 350 de prêmio:

1.a: Bailey Nagy (HAV) 13.50 x 13.10 Daniela Rosas (PER)

2.a: Anali Gomez (PER) 13.00 x 9.55 Melanie Giunta (PER)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 420 pontos e US$ 200 de prêmio:

1.a: Bailey Nagy (HAV) 14.05 x 13.60 Sofia Mulanovich (PER)

2.a: Daniela Rosas (PER) 12.00 x 9.10 Lucia Cosoleto (ARG)

3.a: Melanie Giunta (PER) 12.35 x 11.25 Nathalie Martins (BRA)

4.a: Anali Gomez (PER) 13.75 x 10.85 Havanna Cabrero (PRI)

TOP-10 DO RANKING SUL-AMERICANO DA WSL SOUTH AMERICA – Final das 5 etapas:

Campeã: Anali Gomez (PER) – 2.730 pontos

02: Dominic Barona (EQU) – 2.245

03: Melanie Giunta (PER) – 2.125

04: Daniela Rosas (PER) – 1.820

05: Camila Cássia (BRA) – 1.720

06: Lucia Cosoleto (ARG) – 1.560

07: Tainá Hinckel (BRA) – 1.400

08: Josefina Ane (ARG) – 1.140

09: Lucia Indurain (ARG) – 1.045

10: Karol Ribeiro (BRA) – 1.040

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE - A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Grant Baker, Phil Rajzman, Tory Gilkerson, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo. Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

Fonte: João Carvalho – WSL South America


Adrenanews - Todos os Direitos Reservados

Site desenvolvido por Arara Azul