• Publicidade
  • Publicidade
  • Publicidade
  • Publicidade
  • Publicidade
Adrenanews

Medite: Feliz a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para sua herança !!! - Salmos Cap: 33 Vers: 12

Surfnews


Margaret River Pro 2018

Publicado em: 13/04/2018

O campeão mundial Adriano de Souza e o catarinense Willian Cardoso também passaram direto para a terceira fase do Margaret River Pro, assim como os paulistas Gabriel Medina e Filipe Toledo que venceram suas baterias no primeiro dia da terceira etapa do World Surf League Championship Tour na Austrália. As vitórias de Mineirinho e Willian foram conquistadas nos primeiros confrontos do sábado de mar difícil para competir em North Point, com poucas ondas entrando para surfar nas baterias. Estreando com a lycra amarela do Jeep Leaderboard, Italo Ferreira foi um dos três que perderam, aumentando para sete o número de brasileiros na segunda fase de repescagem. A próxima chamada será as 20:00 horas do sábado aqui no Brasil, 07:00 da manhã de domingo na Austrália.

Filipe Toledo em ação nas ondas de sexta-feira em M.River. Foto: WSL / Matt Dunbar

As condições do mar estavam tão inconsistentes, que o maior placar das cinco baterias disputadas no sábado foi 10,25 pontos do australiano Joel Parkinson na última do dia. Adriano de Souza ganhou a primeira, iniciada as 7h15 em North Point, por exatos 5 pontinhos apenas. O catarinense Yago Dora só conseguiu surfar a sua primeira onda quando restavam 3 minutos para o término dos 35 minutos da bateria. Ele ficou em último com 1,60 pontos e o japonês Kanoa Igarashi em segundo lugar com 3,74 nas duas melhores ondas.

Adriano de Souza em ação nas ondas de sábado em M.River. Foto: WSL / Kelly Cestari

As condições do mar estavam tão inconsistentes, que o maior placar das cinco baterias disputadas no sábado foi 10,25 pontos do australiano Joel Parkinson na última do dia. Adriano de Souza ganhou a primeira, iniciada as 7h15 em North Point, por exatos 5 pontinhos apenas. O catarinense Yago Dora só conseguiu surfar a sua primeira onda quando restavam 3 minutos para o término dos 35 minutos da bateria. Ele ficou em último com 1,60 pontos e o japonês Kanoa Igarashi em segundo lugar com 3,74 nas duas melhores ondas.

O sábado prosseguiu assim e o catarinense Willian Cardoso usou uma tática que deu certo para vencer o segundo confronto do dia. Ele começou pegando ondas mais no inside para somar pontos e depois foi lá para o outside, perto dos outros dois competidores. Willian nem pegou mais ondas, mas ninguém conseguiu superar os 7,53 pontos que tinha totalizado. O australiano Adrian Buchan ficou em segundo com 5,93 e o americano Griffin Colapinto em terceiro com 3,83, com os dois semifinalistas da primeira etapa na Gold Coast, sendo mandados para a repescagem pelo catarinense.

Willian Cardoso em ação nas ondas de sábado em M.River. Foto: WSL / Kelly Cestari

Mais dois brasileiros entraram na terceira bateria do sábado, com o potiguar Italo Ferreira competindo pela primeira vez com a lycra amarela do Jeep Leaderboard de número 1 no ranking da World Surf League. No entanto, nem ele e nem o cearense Michael Rodrigues, conseguiram achar boas ondas e foram derrotados pelo campeão do Margaret River Pro em 2016, Sebastian Zietz. O havaiano venceu por 5,40 pontos, contra 2,90 de Italo Ferreira e 2,23 de Michael Rodrigues.

Italo Ferreira em ação nas ondas de sábado em M.River. Foto: WSL / Kelly Cestari

INÍCIO DO FEMININO – Após o encerramento da primeira fase masculina, começou a rodada inicial feminina do Margaret River Pro ainda na manhã do sábado em North Point. Se as condições do mar estavam difíceis para os homens, imagina para as meninas e a cearense Silvana Lima perdeu a primeira bateria só conseguindo fazer manobras em uma das cinco ondas que tentou surfar. A australiana Sally Fitzgibbons somou duas notas 5,50 para vencer e a havaiana Coco Ho ficou em segundo lugar com 8,84 pontos, contra 5,93 da brasileira. Já a havaiana nascida no Rio Grande do Sul, Tatiana Weston-Webb começou muito bem, conquistando a melhor nota da primeira fase, derrotando as australianas Tyler Wright e Macy Callagham, passando direto para a terceira rodada. 

Tatiana Weston-Webb em ação nas ondas de sábado em M.River. Foto: WSL / Matt Dunbar

Porém, assim como na categoria masculina, essa primeira fase não é eliminatória. A diferença é que na feminina, começar com vitória vale passagem direta para a rodada classificatória para as quartas de final, enquanto os homens ainda terão que vencer mais uma bateria para isso. A campeã do Margaret River Pro no ano passado, Sally Fitzgibbons, já está lá e Silvana Lima e Coco Ho terão que tentar a segunda chance de passar para a terceira fase na repescagem. A adversária da cearense será a australiana Bronte Macaulay na segunda bateria. 

SEXTA-FEIRA - Após três dias de espera pelas ondas, elas chegaram na sexta-feira com séries tubulares de 4-6 pés em North Point para dar a largada no Margaret River Pro, na costa ocidental da Austrália. Mas, a competição só foi iniciada na quarta chamada do dia, às 13h00, dando tempo para rolar apenas sete das doze baterias da primeira fase. Seis brasileiros competiram e apenas dois estrearam com vitórias na terceira etapa do World Surf League Championship Tour 2018, o campeão mundial Gabriel Medina e o também paulista Filipe Toledo.

Gabriel Medina em ação nas ondas de sexta-feira em M.River. Foto: WSL / Matt Dunbar

O dia começou com um duelo australiano para definir o substituto do brasileiro Caio Ibelli, que na quinta-feira sofreu uma lesão no pé ao voltar de um aéreo durante uma sessão de treinos em Margaret River. Com isso, ele teve que cancelar sua participação no evento, mas esteve em North Point assistindo o primeiro dia de competição. Jack Robinson ficou com a sua vaga e depois surfou outro tubaço para derrotar o também australiano Owen Wright e o paulista Miguel Pupo, que está substituindo o também contundido Kelly Slater nesta etapa. Com a saída de Caio Ibelli e a entrada de Jack Robinson, a Austrália igualou o número de onze participantes do Brasil no Margaret River Pro. Antes de Pupo ser derrotado neste terceiro confronto do dia, o catarinense Tomas Hermes e o pernambucano Ian Gouveia já haviam sido mandados para a repescagem na bateria anterior, pelo sul-africano Jordy Smith. 

Ian Gouveia em ação nas ondas de sexta-feira em M.River. Foto: WSL / Kelly Cestari

O próximo brasileiro a competir era Gabriel Medina na quinta bateria e ele confirmou o favoritismo. As condições do mar estavam difíceis, com a maioria das ondas fechando rápido e poucas séries entrando nas baterias. Os tubos arrancavam as maiores notas e o campeão mundial achou uma onda que abriu um canudo para ele se entocar de backside e segurar toda a turbulência para sair e ainda arriscar um aéreo para completar a apresentação que valeu nota 7,33. Ela acabou garantindo a vitória por 10,16 pontos, contra 8,96 do australiano Kael Walsh e apenas 1,97 do francês Joan Duru, que não surfou nada na bateria.

“Está muito complicado e difícil de encontrar boas ondas”, disse Gabriel Medina. “Eu tive sorte de pegar aquela onda mais longa ali e fazer o tubo. Tinha algumas sessões para mandar os aéreos também e fiquei tentando para conseguir as notas que precisava para vencer. Eu tenho me divertido bastante esses dias aqui na Austrália Ocidental, pois sempre tem boas ondas para surfar. Eu vi o Kael (Walsh) procurando alguns tubos maiores e eu sabia que ele ia buscar isso, mas felizmente eu consegui o melhor da bateria”.

 

Na disputa seguinte, estreou um dos dois surfistas que estão competindo com a lycra amarela do Jeep Leaderboard no Margaret River Pro e Julian Wilson começou bem num tubo que recebeu a mesma nota 7,33 de Gabriel Medina. Ela também acabou confirmando a vitória do australiano por 10,56 pontos, superando por pouco o paulista Jessé Mendes, que ficou em segundo lugar com exatos 10,00 pontos. O último colocado foi o australiano David Delroy-Carr, um dos dois classificados na triagem que definiu os convidados desta etapa.

Aí veio a última bateria do dia sem nenhum tubo completado pelos três competidores. Foi a bateria mais fraca de ondas e Filipe Toledo então passou a arriscar os aéreos para conseguir a segunda vitória brasileira por apenas 6,14 pontos. Foram os placares mais baixos da sexta-feira em North Point, com o americano Conner Coffin ficando em segundo lugar com 5,87 e o sul-africano Michael February em último com apenas 2,57 nas duas ondas que pegou.

DUELOS BRASILEIROS – O potiguar terá agora um duelo brasileiro com o paulista Miguel Pupo na primeira rodada eliminatória em Margaret River. Italo tem que passar para a terceira fase para continuar dividindo a liderança do ranking com o australiano Julian Wilson, que já avançou direto por ter começado com vitória na sexta-feira. Além de Italo e Pupo na quarta bateria, mais dois brasileiros se enfrentam na 11.a, dois estreantes na elite do CT, o catarinense Tomas Hermes e o paulista Jessé Mendes.

Os outros três brasileiros que também estão na repescagem, vão competir com surfistas de outros países. Dois deles ainda não ganharam nenhuma bateria nas três etapas da “perna australiana” do WSL Championship Tour, o pernambucano Ian Gouveia e o catarinense Yago Dora. Ian está na quinta bateria com o taitiano Michel Bourez e Yago na sétima com o americano Griffin Colapinto. Na oitava, o cearense Michael Rodrigues vai tentar aproveitar a segunda chance de classificação para a terceira fase contra o japonês Kanoa Igarashi.

Michael Rodrigues em ação nas ondas de sábado em M.River. Foto: WSL / Kelly Cestari

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com US$ 10.000 e 420 pontos:

1.a: Owen Wright (AUS) x David Delroy-Carr (AUS)

2.a: Matt Wilkinson (AUS) x Kael Walsh (AUS)

3.a: Adrian Buchan (AUS) x Mikey Wright (AUS)

4.a: Italo Ferreira (BRA) x Miguel Pupo (BRA)

5.a: Michel Bourez (TAH) x Ian Gouveia (BRA)

6.a: Frederico Morais (PRT) x Michael February (AFR)

7.a: Griffin Colapinto (EUA) x Yago Dora (BRA)

8.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Michael Rodrigues (BRA)

9.a: Conner Coffin (EUA) x Ezekiel Lau (HAV)

10: Connor O´Leary (AUS) x Patrick Gudauskas (EUA)

11: Tomas Hermes (BRA) x Jessé Mendes (BRA)

12: Wade Carmichael (AUS) x Joan Duru (FRA)

SEGUNDA FASE FEMININA – Vitória=Terceira Fase / Derrota=13.o lugar com 1.390 pontos:

1.a: Sage Erickson (EUA) x Coco Ho (HAV)

2.a: Silvana Lima (BRA) x Bronte Macaulay (AUS)

3.a: Lakey Peterson (EUA) x Mikaela Greene (AUS)

4.a: Tyler Wright (AUS) x Paige Hareb (NZL)

5.a: Nikki Van Dijk (AUS) x Macy Callaghan (AUS)

6.a: Keely Andrew (AUS) x Malia Manuel (HAV)

PRIMEIRA FASE DO MARGARET RIVER PRO – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:

Baterias realizadas no sábado:

8.a: 1-Adriano de Souza (BRA)=5.00, 2-Kanoa Igarashi (EUA)=3.74, 3-Yago Dora (BRA)=1.60

9.a: 1-Willian Cardoso (BRA)=7.53, 2-Adrian Buchan (AUS)=5.93, 3-Griffin Colapinto (EUA)=3.83

10: 1-Sebastian Zietz (HAV)=5.40, 2-Italo Ferreira (BRA)=2.90, 3-Michael Rodrigues (BRA)=2.23

11: 1-Kolohe Andino (EUA)=8.20, 2-Ezekiel Lau (HAV)=6.54, 3-Frederico Morais (PRT)=5.93

12: 1-Joel Parkinson (AUS)=10.34, 2-Michel Bourez (TAH)=2.24, 3-Patrick Gudauskas (EUA)=1.30

Baterias realizadas na sexta-feira:

1.a: 1-Keanu Asing (HAV)=10.70, 2-Matt Wilkinson (AUS)=5.33, 3-Connor O´Leary (AUS)=4.64

2.a: 1-Jordy Smith (AFR)=12.17, 2-Ian Gouveia (BRA)=10.67, 3-Tomas Hermes (BRA)=2.54

3.a: 1-Jack Robinson (AUS)=13.94, 2-Owen Wright (AUS)=4.03, 3-Miguel Pupo (BRA)=2.40

4.a: 1-John John Florence (HAV)=14.60, 2-Mikey Wright (AUS)=11.87, 3-Wade Carmichael (AUS)=8.50

5.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=10.16, 2-Kael Walsh (AUS)=8.96, 3-Joan Duru (FRA)=1.97

6.a: 1-Julian Wilson (AUS)=10.56, 2-Jessé Mendes (BRA)=10.00, 3-David Delroy-Carr (AUS)=3.40

7.a: 1-Filipe Toledo (BRA)=6.14, 2-Conner Coffin (EUA)=5.87, 3-Michael February (AFR)=2.57

RESULTADOS DA PRIMEIRA FASE – Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Segunda Fase:

Baterias realizadas no sábado:

1.a: 1-Sally Fitzgibbons (AUS)=11.00, 2-Coco Ho (HAV)=8.84, 3-Silvana Lima (BRA)=5.93

2.a: 1-Carissa Moore (HAV)=13.33, 2-Bronte Macaulay (AUS)=2.37, 3-Sage Erickson (EUA)=2.03

3.a: 1-Stephanie Gilmore (AUS)=9.56, 2-Mikaela Greene (AUS)=6.43, 3-Keely Andrew (AUS)=4.63

4.a: 1-Caroline Marks (EUA)=7.90, 2-Paige Hareb (NZL)=4.80, 3-Lakey Peterson (EUA)=4.24

5.a: 1-Tatiana Weston-Webb (HAV)=12.17, 2-Tyler Wright (AUS)=11.50, 3-Macy Callaghan (AUS)=9.34

6.a: 1-Johanne Defay (FRA)=11.37, 2-Malia Manuel (HAV)=10.17, 3-Nikki Van Dijk (AUS)=5.13

Acompanhe a transmissão ao vivo do Margaret River Pro pelo www.worldsurfleague.com ou pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo. Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com. 

VEJAM ABAIXO OS VÍDEOS COM OS MELHORES MOMENTOS DO SÁBADO E DA SEXTA-FERIA EM M.RIVER:

Fonte: Edição: Edson Andrade - Reportagem: João Carvalho WSL South America


Adrenanews - Todos os Direitos Reservados

Site desenvolvido por Arara Azul