• Publicidade
  • Publicidade
  • Publicidade
  • Publicidade
  • Publicidade
Adrenanews

Medite: Feliz a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para sua herança !!! - Salmos Cap: 33 Vers: 12

Surfnews


Boletim WSL Qualifying Series 2017

Publicado em: 07/09/2017

Quatro brasileiros passaram pelas três fases realizadas na quinta-feira da verdadeira maratona diária de baterias no QS 6000 Azores Airlines Pro 2017 em Portugal. Foram 76 baterias em apenas três dias, as 24 da primeira fase na terça-feira, mais 24 da segunda na quarta-feira e 28 para definir os oito classificados para as quartas de final nas ondas de 2-4 pés da quinta-feira na Praia de Santa Bárbara, na Ilha de São Miguel, em Açores. O catarinense Yago Dora vai disputar a primeira vaga para as semifinais, o paranaense Peterson Crisanto está na segunda bateria, o cearense Michael Rodrigues na terceira e o baiano Bino Lopes na quarta. Os outros quatorze brasileiros ficaram pelo caminho, com vários deles se enfrentando nas baterias.

Bino Lopes em ação. Ft: Divulgação WSL / Poullenot

Yago Dora usou os aéreos de novo para liquidar seus adversários. Completou um “full rotation” perfeito que valeu a maior nota do dia – 9,43 – no duelo brasileiro com o paulista Thiago Camarão pelas oitavas de final. A vitória foi com o segundo maior placar da quinta-feira – 16,60 a 13,50 pontos – e o catarinense já subiu da sexta para a terceira posição no ranking do WSL Qualifying Series, que classifica dez surfistas para a elite dos top-34 que disputa o World Surf League Championship Tour.

Yago Dora em ação. Ft: Divulgação WSL / Poullenot

“Foi uma bateria muito louca e o Thiago (Camarão) é um ótimo competidor, então tive que lutar até o fim", disse Yago Dora. “Estava difícil de entrar alguma onda boa, mas continuei tentando e procurei ficar ativo. Essa última onda entrou perfeita para fazer um aéreo, então tentei completar a rotação com um ‘grab’ e felizmente consegui a nota que precisava. É muito bom chegar no dia final do evento de novo, como em Pantin (ESP) na semana passada”.

Outro brasileiro que usou bem as manobras aéreas para potencializar suas notas foi o paranaense Peterson Crisanto. Em sua primeira atuação na quinta-feira, fez as marcas a serem batidas com as notas 9,0 e 7,0 na vitória por 16,00 pontos sobre os catarinenses Willian Cardoso e Alejo Muniz e o japonês Shun Murakami.

Peterson Crisanto em ação. Ft: Divulgação WSL / Poullenot

Willian Cardoso passou essa e ganhou uma posição no G-10, saindo do nono para o oitavo lugar. Ele acabou eliminado pelo décimo colocado, Patrick Gudauskas, na fase seguinte e depois o norte-americano foi barrado por Peterson Crisanto, permanecendo em último no G-10. O paranaense saiu de 70 para 39 no ranking com a passagem para as quartas de final.

Willian Cardoso em ação. Ft: Divulgação WSL / Poullenot

VAGA NO G-10 – Com a vitória de Peterson Crisanto sobre Patrick Gudauskas, a porta de entrada no G-10 ficou aberta e o cearense Michael Rodrigues já tirou a vaga do norte-americano três baterias depois, quando derrotou o australiano Dion Atkinson. Michael começou o dia tirando o número 4 do ranking, o catarinense Tomas Hermes. Depois, venceu a bateria sul-americana da quarta fase, com o uruguaio Marco Giorgi ganhando a briga pelo segundo lugar do paulista David do Carmo. Willian Cardoso não tem mais perigo de sair do G-10, então agora o Brasil possui metade das vagas do QS para o CT do ano que vem.

David do Carmo em ação. Ft: Divulgação WSL / Poullenot

O paulista Jessé Mendes foi barrado junto com o peruano Miguel Tudela na bateria que abriu a quinta-feira, mas permanece tranquilo na liderança do ranking e com seu nome já confirmado na “seleção brasileira” que vai disputar o título mundial de 2018. Yago Dora agora subiu para o terceiro lugar, Tomas Hermes caiu de quarto para quinto e o também catarinense Willian Cardoso permanece em nono porque Michael Rodrigues subiu da 12.a para a oitava posição.

DOMÍNIO BRASILEIRO – Os brasileiros eram maioria quando a quinta-feira começou, com dezoito surfistas entre os 48 que disputaram a terceira fase. E a maioria foi mantida no fim do dia, com quatro entre os oito finalistas, um em cada bateria abrindo a possibilidade de uma segunda final 100% brasileira em etapas do QS 6000 esse ano. Na primeira com esse status foi assim, com Yago Dora conquistando seu primeiro título importante na carreira, na decisão contra Jessé Mendes no tradicional Festival de Newcastle, na Austrália. Foi o indício do domínio verde-amarelo no WSL Qualifying Series.

Até agora, os brasileiros chegaram nas finais em todas as provas importantes da temporada. O próprio Jessé Mendes ganhou o segundo QS 6000 do ano, em Sydney também na Austrália, repetindo o feito no terceiro, no Japão. No primeiro QS 10000, o catarinense Willian Cardoso foi vice-campeão no Ballito Pro, só perdendo para o favorito Jordy Smith, que lidera a corrida pelo título mundial no CT. E no segundo QS 10000 já realizado, o US Open of Surfing, outro catarinense, Tomas Hermes, também só não conseguiu vencer o local do pico, Kanoa Igarashi, em Huntington Beach, na Califórnia, Estados Unidos.

Na semana passada, o cearense Michael Rodrigues também foi vice-campeão na final do QS 6000 Pull&Bear Pantin Classic Galicia Pro contra o francês Jorgann Couzinet. Com o resultado, ele se aproximou da zona de classificação para o CT e agora entrou no G-10 nesta quinta-feira em Portugal. Bino Lopes já esteve neste grupo esse ano e tenta recuperar a vaga, mas não consegue isso no QS 6000 dos Açores ainda, mesmo que vença o campeonato. Mas, com a passagem para as quartas de final, ele já subiu de 51 para 33 no ranking.

Michael Rodrigues em ação. Ft: Divulgação WSL / Poullenot

DOBRADINHAS BRASILEIRAS – Bino Lopes começou a quinta-feira completando uma dobradinha baiana com Yagê Araujo, sobre o norte-americano Ian Crane e o sul-africano Michael February, que ocupava a terceira posição no ranking. Depois, venceu outra dobradinha brasileira com o paulista Flavio Nakagima, contra o neozelandês Billy Stairmand, antes de despachar o japonês Hiroto Arai nas oitavas de final. Nakagima tinha chance de entrar no G-10, era o 23.o colocado, porém foi barrado pelo australiano Davey Cathels na bateria que fechou a longa quinta-feira em Portugal. O QS 6000 Azores Airlines Pro pode ser encerrado nessa sexta-feira e as finais serão transmitidas ao vivo das Ilhas Açores pelo www.worldsurfleague.com

Yagê Araujo em ação. Ft: Divulgação WSL / Poullenot

QUARTAS DE FINAL DO QS 6000 AZORES AIRLINES PRO:

1.a: Yago Dora (BRA) x Gony Zubizarreta (ESP)

2.a: Wade Carmichael (AUS) x Peterson Crisanto (BRA)

3.a: Michael Rodrigues (BRA) x Aritz Aranburu (ESP)

4.a: Bino Lopes (BRA) x Davey Cathels (AUS)

RESULTADOS DA QUINTA-FEIRA NOS AÇORES EM PORTUGAL:

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 1.550 pontos e US$ 2.500 de prêmio:

1.a: Gony Zubizarreta (ESP) 12.10 x 11.27 Ramzi Boukhiam (MAR)

2.a: Yago Dora (BRA) 16.60 x 13.50 Thiago Camarão (BRA)

3.a: Peterson Crisanto (BRA) 13.80 x 8.70 Patrick Gudauskas (EUA)

4.a: Wade Carmichael (AUS) 14.30 x 12.27 Seth Moniz (HAV)

5.a: Aritz Aranburu (ESP) 11.33 x 9.90 Marco Giorgi (URU)

6.a: Michael Rodrigues (BRA) 12.83 x 11.63 Dion Atkinson (AUS)

7.a: Bino Lopes (BRA) 12.23 x 11.34 Hiroto Arai (JPN)

8.a: Davey Cathels (AUS) 12.66 x 9.37 Flavio Nakagima (BRA)

QUARTA FASE – Vitória=Oitavas de Final e Derrota=17.o lugar com 1.050 pontos e US$ 2.000:

1.a: 1-Ramzi Boukhiam (MAR)=12.97, 2-Thiago Camarão (BRA)=11.17, 3-Takumi Nakamura (JPN)=9.34

2.a: 1-Yago Dora (BRA)=14.83, 2-Gony Zubizarreta (ESP)=12.27, 3-Alex Ribeiro (BRA)=12.03

3.a: 1-Peterson Crisanto (BRA)=13.50, 2-Wade Carmichael (AUS)=12.66, 3-Thiago Guimarães (BRA)=11.67

4.a: 1-Seth Moniz (HAV)=11.23, 2-Patrick Gudauskas (EUA)=10.60, 3-Willian Cardoso (BRA)=9.70

5.a: 1-Aritz Aranburu (ESP)=10.93, 2-Dion Atkinson (AUS)=10.33, 3-Tristan Guilbauld (FRA)=9.34

6.a: 1-Michael Rodrigues (BRA)=12.17, 2-Marco Giorgi (URU)=9.76, 3-David do Carmo (BRA)=9.04

7.a: 1-Bino Lopes (BRA)=15.66, 2-Flavio Nakagima (BRA)=10.60, 3-Billy Stairmand (NZL)=10.30

8.a: 1-Davey Cathels (AUS)=16.74, 2-Hiroto Arai (JPN)=11.57, 3-Yagê Araujo (BRA)=7.40

TERCEIRA FASE – 3.o=25.o lugar (US$ 1.300 e 700 pts) / 4.o=37.o lugar (US$ 1.200 e 650 pts):

1.a: 1-Thiago Camarão (BRA), 2-Gony Zubizarreta (ESP), 3-Jessé Mendes (BRA), 4-Miguel Tudela (PER)

2.a: 1-Takumi Nakamura (JPN), 2-Alex Ribeiro (BRA), 3-Ryan Callinan (AUS), 4-Cooper Chapman (AUS)

3.a: 1-Yago Dora (BRA), 2-Ramzi Boukhiam (MAR), 3-Marco Fernandez (BRA), 4-Charles Martin (GLP)

4.a: 1-Peterson Crisanto (BRA), 2-Willian Cardoso (BRA), 3-Alejo Muniz (BRA), 4-Shun Murakami (JPN)

5.a: 1-Thiago Guimarães (BRA), 2-Patrick Gudauskas (EUA), 3-Kilian Garland (EUA), 4-Keanu Asing (HAV)

6.a: 1-Seth Moniz (HAV), 2-Wade Carmichael (AUS), 3-Krystian Kymerson (BRA), 4-Vicente Romero (ESP)

7.a: 1-Tristan Guilbaud (FRA), 2-Michael Rodrigues (BRA), 3-Tomas Hermes (BRA), 4-Joshua Moniz (HAV)

8.a: 1-Dion Atkinson (AUS), 2-Marco Giorgi (URU), 3-Marcos Correa (BRA), 4-Mitch Crews (AUS)

9.a: 1-David do Carmo (BRA), 2-Aritz Aranburu (ESP), 3-Griffin Colapinto (EUA), 4-Lliam Mortensen (AUS)

10: 1-Flavio Nakagima (BRA), 2-Davey Cathels (AUS), 3-Jorgann Couzinet (FRA), 4-Lucas Silveira (BRA)

11: 1-Billy Stairmand (NZL), 2-Hiroto Arai (JPN), 3-Shane Campbell (AUS), 4-Jonathan Gonzalez (CNY)

12: 1-Yagê Araujo (BRA), 2-Bino Lopes (BRA), 3-Michael February (AFR), 4-Ian Crane (EUA) 

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE - A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Grant Baker, Phil Rajzman, Tory Gilkerson, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo. Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

VEJAM ABAIXO OS VÍDEOS COM OS MELHORES MOMENTOS:

Fonte: João Carvalho – WSL South America


Adrenanews - Todos os Direitos Reservados

Site desenvolvido por Arara Azul